domingo, 29 de setembro de 2013

Abandonar vícios e medos

  • Vejo qualquer padrão de resistência em meu interior apenas como algo especial a libertar.
  • Sou amado, nutrido e apoiado pela vida em si.
  • Estou fazendo o melhor que posso.
  • Casa dia fica mais fácil.
  • Desejo me libertar da necessidade de meus vícios
  • Vou além de meus vícios e me liberto.
  • Aprovo a mim mesmo e a maneira como estou mudando.
  • Sou mais forte do que meus vícios.
  • Agora descubro como sou maravilhoso.
  • Escolho amar e apreciar a mim mesmo.
  • É seguro para mim estar vivo.

Uma das formas primárias de mascarar os nossos medos é por meio dos vícios. Os vícios suprimem as emoções para que não sintamos. Entretanto, existem muitos tipos de vícios além dos vícios químicos. Existe o que chamo de vício padrão – padrões de comportamento que adotamos para evitar estarmos presentes nas nossas vidas. Se não queremos lidar com o que se encontra à nossa frente ou não queremos estar onde estamos, possuímos um padrão que nos mantém fora do contato com as nossas vidas. Para algumas pessoas, é o vício em comida ou químico. Existe uma predisposição genética para o alcoolismo; entretanto, a escolha de ficar doente é sempre individual. Frequentemente quando dizemos que algo é hereditário, na verdade é a manifestação da aceitação, por parte da criança, da forma como os pais lidam com o medo.

Para outros existem vícios emocionais. Pode-se ser viciado em encontrar defeitos nas pessoas. Não importa o que aconteça, sempre encontra alguém para culpar. É culpa deles. Foram eles que fizeram isso comigo.

Talvez esteja viciado em empilhar contas. Existem muitos de nós viciados em contrair dívidas; fazem tudo para manter a si mesmo endividados, o que não parece estar relacionado com quantidade de dinheiro que possuem.

Você pode ser viciado em rejeição. Em todos os lugares que vai só atrai pessoas que o rejeitam.  Entretanto a rejeição exterior é um reflexo da própria rejeição. Se você não se rejeita a si próprio, ninguém mais vai rejeitá-lo.

Existem pessoas viciadas na doença. Estão sempre doentes ou preocupados com doenças.

Se vai viciar-se em alguma coisa, por que não se viciar em amar a si mesmo? Pode se tornar viciado em fazer afirmações positivas ou a fazer algo que o apoie.  Os vícios acontecem porque não sabemos como nos amar a nós próprios. Temos medo de nos explorar; em vez disso usamos o vício para fugir da  nossa autodescoberta.

Se podemos mudar o que pensamos a respeito de nós mesmos, podemos parar de fugir, aprender a nos amar e descobrir o nosso poder interior.

Louise L. Hay

A meu ver este texto diz tudo! Muito interessante para a nossa autodescoberta!
 
ISA