segunda-feira, 15 de abril de 2013

Sempre à procura...

O homem evita o confronto consigo mesmo.
Evita porque se desaprova.
Não se aceita como é, mas não consegue mudar.
Mudar é penoso; a renovação exige sacrifício.
Habituado ao imediatismo, não se anima a investir no futuro.
Aspira a resultados agora...
semeia e, depressa, anseia pelos frutos.
Tão jungido se encontra ao corpo, que confunde-se com ele.
Não tem consciência plena de que é espírito.
É prisioneiro voluntário das próprias sensações.
Não se incomoda de pagar com a dor, o preço do desejo.
Mas também não consegue satisfazer-se...
Está sempre à procura.
Ele não sabe, no fundo, procura por Deus!
Busca exteriormente o que encontrará apenas dentro de si...

Carlos A. Baccelli, "Passo a Passo"

Queridos amigos achei este texto muito objetivo para explicar o que se passa com todos nós em determinada fase da nossa vida, seja mais cedo, seja mais tarde. Todos nós procuramos algo de único, diferente, de sublime e simples. Mas a verdade chega com a iluminação espiritual e também com o sofrimento que na maior parte das vezes lhe está inerente. Ao abordar a questão da mudança e da dificuldade que isso significa temos consciência que este processo toca a todos. Porém uns aceitam confrontar-se consigo próprio e na viagem do autoconhecimento investem grande parte dos seus sonhos; outros há que não querem perceber o que se passa com eles com medo do que poderão sofrer. De qualquer modo, seja de uma forma ou de outra todos sofrerão. Aprendi que a vida prepara-nos para a mudança seja como for. A própria vida é mudança contínua. Por isso, resistir só vai prolongar a dor e torná-la mais intensa. Aceitar, transmuta a dor em renovação e coloca-nos no centro da vida. 

Beijinhos de mudança! Boa semana!

Isa do blogue  http://viverossonhos3.blogspot.pt/