terça-feira, 29 de maio de 2012

Autoconhecimento. Precisa-se!


 



 

Na maioria das vezes, a análise é vista como um movimento de cura para um mal psíquico. Porém, a psicoterapia demonstra como as dificuldades que nos deparamos ao longo da vida são, na verdade, sintomas da desorganização da nossa alma. Ao dar nome e voz ao desconforto interior, aprendemos a conhecê-los, a controlá-los ou a solucioná-los.
O poder de cura não está simplesmente no falar, mas sobretudo no “ser ouvido”. A atenção plena do psicoterapeuta será o diferencial, na medida em que intervirá com perguntas e observações que favoreçam a reflexão. Assim se desenvolve o contraponto necessário, que colocará em xeque os conceitos prefabricados que o paciente carrega.
A psicoterapia ao promover o autoconhecimento e a expansão da consciência, oferece novas ferramentas para enfrentar os problemas diários, além de realçar qualidades até então adormecidas. Ao olhar para os desafios interiores, percecionámos alguém muito maior do que a nossa própria consciência era capaz de conceber. Ao olharmos para dentro é olhar para o mundo que somos, que emergirá mais forte, com mais integridade, fiel ao que  verdadeiramente é, ao sentido maior de sua existência.