terça-feira, 29 de maio de 2012

A lei da atração


É só pensar um pouco e todos nós recordamos com facilidade situações na nossa vida em que esta lei está bem presente. Senão vejamos... Se estamos preocupados com algum sintoma e receamos alguma doença, surge logo alguém na nossa vida a testemunhar uma situação semelhante. Em breve, aparecerá alguém que descreve um caso grave de doença que fará com que fiquemos internamente em pânico em relação à nossa dúvida. Este é um típico sinal da lei da atração, daquilo que realmente queremos ou não deixar fluir na nossa vida. É só estar atenta aos sinais e decidir…

Identificar os sinais II 

 
Se nos mantivermos conscientes destes sinais, ao invés de entrarmos em pânico, devemos agradecer a nós mesmos pela migalha posta no caminho para nos ajudar a lembrar a saída para os nossos desafios.
Como agir neste exemplo?
Dizendo:
“Isto é um sinal. Se eu confirmá-lo com minha apreensão, corro um sério risco de manifestar e materializar aquela doença”.
Este é um exemplo muito simples de um sinal. No dia-a-dia, durante a nossa permanência na 3ª Dimensão deparamo-nos constantemente com sinais. E eles não servem apenas para iluminar o caminho de nossos desafios. Servem também para nos alertar sobre momentos decisivos ou nos avisar sobre mudanças de rota no enredo de nossa vida, entre outros.
Todos os sinais são sempre bem-vindos. Eles são inúmeros, durante a nossa existência tridimensional. Todos os sinais são fontes amigas de informação... porque, afinal... foram postos ali por nós mesmos.
Ao aprendermos a lê-los, a nossa passagem pelo enredo da 3ª Dimensão torna-se mais fácil.
“Agradecer é sempre um bom caminho para integrar o que estamos a experimentar na 3ª Dimensão, com o que Eu Sou”.
 
Adriana Canova, Manual para um Monólogo Amoroso