terça-feira, 29 de maio de 2012

O sonho terapêutico

A melhor forma de potencializar a utilidade dos sonhos é observá-los com seriedade. Mas, não se trata apenas de uma simples interpretação, onde os significados são atribuídos de uma forma simplista para cada elemento que os compõe.


Jung ensina que o mesmo elemento pode ter sentidos diversos de acordo com o sonhador - as experiências pessoais é determinam o que cada imagem onírica quer transmitir a cada pessoa. Por exemplo: para algumas pessoas, um cão pode sinalizar fidelidade e lembranças alegres e para quem tem medo de animais, pode representar uma ameaça.
A construção de um diário de sonhos é o primeiro etapa para quem quer aprender a interpretar as imagens e símbolos oriundos do inconsciente. Escrever as experiências oníricas ajuda a organizar os conteúdos psíquicos que se manifestam noite após noite. A partir de uma série de sonhos, pode-se entender mais sobre os processos transitórios da vida.
Além do registo, o processo de amplificação do sonho, com a ajuda de um analista, potenciam os resultados. A partir da observação das imagens, sonhador e terapeuta correlacionam elementos surgidas espontaneamente à realidade vivida – frustrações, expetativas, escolhas, relacionamentos etc. Nisso consiste um dos principais pilares da psicoterapia ou análise de Jung.