terça-feira, 22 de janeiro de 2013

A ligação corpo-mente-espírito

Nós somos simultaneamente uma combinação de corpo, mente e espírito. No entanto, existe dentro destas três partes interativas, uma cadeia de comando lógica onde o corpo é subserviente da mente e onde tanto a mente como o corpo são subservientes do espírito. Provavelmente já todos sentimos numa altura ou noutra esses momentos espiritualmente esclarecedores que nos recordaram a proeminência do espírito sobre a mente e o corpo. Entre os muitos exemplos encontram-se as visões e sons do nosso ambiente natural potencialmente habilitadoras - um magnífico pôr-do-sol, uma paisagem ao luar, uma forte queda de água, uma vista do oceano, uma chuva de Verão, uma ave aquática em voo, o céu estrelado - cada um deles nos pode equilibrar e harmonizar num instante com o admirável poder do universo.
Porque a mente, o corpo e o espírito são interativos por natureza, separar as suas funções em discretas categorias é uma tarefa muito difícil. Até agora, a abordagem científica convencional para solucionar este dilema, foi a de simplesmente reduzir a equação aos componentes mental e físico.
De uma perspectiva espiritual, todas as nossas vivências de cada vida - passado, presente e futuro - têm de acabar por ser integradas na nossa alma para facilitar a nossa evolução espiritual. É através do processo de integração que aprendemos lições espirituais que poderiam ser difíceis, quando não impossíveis, num estado de desencarne. é esta a principal razão por que estamos aqui - para aprendermos e crescermos espiritualmente, ao mesmo tempo que contribuímos para a evolução espiritual dos outros.  
Quando unimos a consciência e a experiência humanas exclusivamente ao cérebro, passam a ser a propriedade única do corpo físico. consciência, perceção, raciocínio, memória, resolução de problemas, atitudes, emoções, crenças e outras funções mentais passam a ter base física e portanto a ser dependentes da sobrevivência do corpo físico. 
Sabemos que as funções mentais e físicas falham e que o corpo acaba por se gastar. Só o espiritual é para sempre. Dada a permanência do espírito e a natureza temporal do corpo, segue-se que a nossa evolução espiritual poderia exigir mais que uma vida, com cada vida a oferecer um novo corpo físico e uma reencarnação dinâmica do espírito para resultar em possibilidades totalmente novas de crescimento.  
Mas como pode,os explicar a natureza temporal do físico versus a natureza permanente do espiritual? É simples, só o que não tem princípio pode ser interminável. Todas as coisas físicas, incluindo o corpo biológico, têm um começo e portanto um fim; todas as coisas espirituais, incluindo a alma, não têm princípio e portanto não têm fim.

Sabemos que, por natureza, cada um de nós possui uma constituição genética chamada genótipo que fornece a estrutura biológica única para o nosso desenvolvimento. É temporal e portanto defeituosa. Termina na morte com o corpo físico. Cada nova vida, consequentemente, exige um novo corpo com um novo genótipo como estrutura para o crescimento e desenvolvimento durante a vida. 
Em paralelo com o nosso genótipo físico existe um genótipo espiritual  que fornece a estrutura espiritual para o nosso crescimento e desenvolvimento. Enquanto o genótipo físico garante a nossa identidade única como ser biológico temporal, o genótipo espiritual garante a nossa identidade única como ser espiritual  intemporal. Por não ser físico, o nosso genótipo espiritual é para sempre - é sem princípio ou fim. é simultaneamente espiritual e sem mácula. Mantém-se inteiro e inalterável de vida para vida. Garante, portanto, a nossa sobrevivência perpétua como ser espiritual único. dito de uma maneira simples, o genótipo espiritual é a estrutura perpétua onde o espírito evolui.
 Desta perspectiva, a alma pode ser definida como essa única e imortal essência da força da vida sem a qual não poderíamos existir. A alma não é uma coisa que eu possua; é aquilo que eu sou para sempre. Mais que um corpo físico com uma alma, sou uma alma com um corpo físico. Cada vida oferece novas oportunidades para interagir como alma com uma nova equivalente biológica e um novo ambiente para maximizar quaisquer potenciais de crescimento à disposição nessa vida. Cada alma é por natureza perfeita e indestrutível. As almas evoluem mas não se podem danificar ou quebrar. Você é uma alma de perfeição dentro de uma realidade eterna. Já existe como alma antes da sua primeira vida e existirá como alma para além da última. Em cada uma das vidas existiu como alma numa forma encarnada que deu energia ao seu corpo físico. Existiu como alma entre vidas na forma desencarnada, proporcionando assim uma continuidade de consciência independente  da fisiologia. No entanto, a alma é mais que um estado de consciência - é um estado de ser espiritual caracterizado pelo livre-arbítrio e autodeterminação.  

Joe H. Slate, do livro : O Mundo do Além 

Beijinhos espirituais

Ísis