domingo, 6 de janeiro de 2013

Viver na dualidade!

A vida traça um rumo.
A vida mostra-te as encruzilhadas.
A dualidade divide o indivisível.
A dualidade instiga-te ao desencontro de ti.
A vida acontece na linha infinita.
A dualidade traça as linhas da tua perdição.
A vida é inerente ao que amas.
A dualidade mostra-te o que amas em ti.
A vida engrandece o que fazes.
A dualidade controla o que não fazes.
Vives na constante dúvida de ti mesmo.
Pensas que sabes o que queres e que afastas o que te desalenta.
Na verdade, vives na dualidade de ti próprio; és o que és e o que não és.
sonhas com o que não tens, alcanças o que tens.
Nada brota do certo, do que permanece imóvel, e nada contém em si a imobilidade.
Enigma de vida, dualidade misteriosa que tudo persegue e contradiz. Acaba, onde começou; termina onde não existe.

Difícil perceber o ciclo dual da vida.
Difícil é percepcionar o sentido que atribuis à vida.
Procura dentro de ti o significado da dualidade e encontras a origem do que és...


Santo Agostinho, canalizado por I.M., 12-12-12


Beijinhos sonhadores e bom domingo.

I.M.